Baseado em saudades reais

“Bom dia. Boa tarde. Boa noite.

Não sei quando lerá esta carta, mal sei se um dia a receberá. Só escrevo porque sei que cartas você guarda pra sempre e eu gostaria de lhe dar algo meu, algo único, algo eterno. “Something new, something borrowed, something blue.”

Como vai você?
Certo, não precisa responder, eu acompanho seus passos na medida exata para saber que você vai bem. Mas eu não posso dizer o mesmo, sinto falta da nossa amizade. Ou do que foi amizade um dia.

No entanto, é de se presumir que eu não estou satisfeita em descobrir coisas sobre sua vida. Quero que você me conte! Não por saber, mas por fazer questão de ouvir sua voz.

Como consegue fazer tanta falta? Que saudade!
Lembra quando nos conhecemos? Tenho certeza que eu lembro bem melhor que você. Essa pergunta sempre te leva a responder sobre o início da nossa amizade. Já a minha memória seletiva e detalhista consegue descrever perfeitamente a primeira vez que te vi.
Não é necessário repetir toda a saga, mas é válido ressaltar que eu não gostei de você de primeira. Sempre me diverti “jogando na sua cara” como você parecia arrogante. Aí você dizia que eu sempre acho as pessoas metidas, chatas, isoladas, arrogantes e é só passar um tempo que eu me desfaço de todas as primeiras impressões e fico amigada.

Chega de lembranças. Por melhores que sejam, elas magoam só pelo fato de serem lembranças.

Por que você desapareceu? E pior, por que não me procura mais? Mesmo hesitante, eu seria capaz de correr ao telefone e te ligar agora mesmo, mas sofro de medo da rejeição. Sei que você ainda tem meu número gravado na sua agenda e, mesmo assim, nada. Nem há a desculpa de tê-lo perdido, afinal, você pressionava os 8 dígitos de olhos fechados, se necessário, e eles continuam os mesmos.

Será que você sabe de mim, da minha vida? Será que descobriu que meus sonhos estão se realizando? Anoto as coisas mais importantes para te contar desde o dia em que partiu, mas já faz tanto tempo que me falta papel e tinta de caneta.

Ainda aguardo ansiosamente o dia da sua volta. Enquanto isso não acontece, existe uma coisa que preciso te dizer, caso você não lembre: foi você quem me apresentou a amizade verdadeira, foi pra você que eu disse “eu te amo” pela primeira vez.

E continua sendo assim!”

Anúncios

4 opiniões sobre “Baseado em saudades reais

  1. Meu Deus quem é essa pessoa????
    Essa frase foi o ápice do post: “Anoto as coisas mais importantes para te contar desde o dia em que partiu, mas já faz tanto tempo que me falta papel e tinta de caneta.”
    Garota, AMEI. Você coloca muito sentimento e veracidade nos seus textos.
    Depois procura essa música aqui ô -> As Cartas Que eu Não Mando – Leoni
    Acho que você vai curtir.
    Parabéns Rá, sempre surpreendendo.

  2. Não sei se eu que acordei muito emotiva, mas me emocionou muito, Rá! rs
    Como disse a Bá, todo mundo tem alguém a quem gostaria de dizer tudo que você disse. E eu não sou excessão, também tenho esse alguém.
    E citando a Fernanda, essa frase foi o ápice do post: “Anoto as coisas mais importantes para te contar desde o dia em que partiu, mas já faz tanto tempo que me falta papel e tinta de caneta.”

    Como sempre lindo lindo, Rá!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s