Aos mestres com carinho!

Era uma vez uma menina que sonhava em ser dançarina. E cantora. Aí resolveu ser professora. Mudou o sonho para veterinária, mas logo desistiu e resolveu que seu destino era a tela da tevê mesmo, ser atriz, com certeza, era o negócio certo.
Mas…NOSSA, mais legal ainda seria fazer o papel de uma veterinária que, nas horas vagas, ensinava as pessoas a dançar e cantar em prol de um mundo mais feliz!
Aí essa mesma menina percebeu que a realidade prometia bem menos coisas…

Como não é nem um pouco difícil adivinhar, essa mesma menina também é conhecida como Raíssa, a blogueira que vos escreve.

Confesso que já imaginei seguir carreiras fora do normal, acho que até cheguei a inventar algumas bem diferentes só pra poder ser ainda mais radical. Mas o que eu nunca imaginei é que fazer o que faço hoje seria uma das maiores aventuras da minha vida!

Sempre tive um apreço muito grande por um ou dois professores da época do colégio, até mesmo da faculdade. Aquele que é espelho, aquele que inspira ou que mostra um caminho bem mais fácil. No meu caso, uma professora em particular, que me guiou até o instante no qual preenchi o curso do meu vestibular.
Porém, sempre pensei que chegar ao ponto de virar referência para alguém era privilégio de pessoas mais vividas, mais estudadas, mais sábias, mais sensatas, mais…mais!

Não estou dizendo que já sou referência pra ninguém, não…longe de mim. Mas acho surreal de qualquer forma.

Seguir a carreira que eu escolhi é uma das poucas coisas que preciso para viver satisfeita. Não faço questão de ser famosa, rica ou nada muito extravagante. Só faço questão de ser realizada.

Mas hoje, mais do que nunca, eu descobri que não vou ter que esperar por um diploma ou muito tempo vivido para experimentar essa sensação: já sou realizada!

Jamais esperei que eu, com meus meros 17 anos nas costas, teria a responsabilidade de ensinar alguém. Ainda mais ensinar pessoas muito mais novas ou muito mais velhas, muito mais diferentes do que eu imaginava.

Só que não resolvi tirar as teais de aranha do blog pra falar do que eu ensino, e sim, do que eu aprendo (que, convenhamos, é muito mais coisa!).

Com meus alunos eu aprendi bem mais que a prática de ensinar, ou como lidar com personalidades diferentes de um modo agradável, ou até como ser chata e imponente quando necessário. Na verdade, aprendi o poder que um novo aprendizado tem na vida de alguém, aprendi o valor de um bom dia dado com um sorriso verdadeiro, aprendi as formas mais fáceis e mais simples de se fazer amizades, aprendi a confiar em mim mesma e botar um pouco mais de fé nos outros. Aprendi a ser sincera sem ser rude. Aprendi que certas relações vão muito além do simples e esperado “professor-aluno”, elas se baseiam em diversão, em reciprocidade e em gratidão, tudo isso na forma mais sincera.
Não sei descrever o quanto é bom encontrá-los na na padaria, no shopping, na balada, na rua, na chuva, na fazenda ou numa casinha de sapê e ter a honra de ser cumprimentada por livre e espontânea vontade, sem aquela história de “vou fingir que nem vi, só pra evitar.” E compartilhar casos das nossas vidas então, nossa, isso sim é maravilhoso! É indescritível.

Já com meus professores, aprendi tudo aquilo que eles deveriam ter sido ensinado a mim e muito, muito mais. Conheci o respeito, conheci a admiração, conheci a batalha, a vontade de continuar e até mesmo a quase desistência. Nenhum professor jamais encondeu o quanto é difícil estar na posição em que eles se encontravam, mas a maior parte deles enfatizava muito mais o quão satisfeitos ficavam com o retorno, com o resultado de um trabalho tão árduo.

Entretanto, a maior e melhor professora que tenho é a vida!
A vida ainda me ensina tudo o que um ser humano deve saber. Certas vezes aprendo e passo de nível com louvor, outras tenho que fazer algumas recuperações pra compreender bem o sentido daquele ensinamento. Ela, juntamente com o tempo, me providenciarem tudo aquilo que um aluno necessita para reforçar o aprendizado.

Por fim, a lição de hoje é a seguinte: ser eternamente grata pelos alunos-amigos que tenho, por me mostrarem a cada dia o que eu devo buscar, o quanto eu devo sorrir e o quanto eu devo valorizá-los. Ser mais grata ainda pela minha família, porque né…acho que não preciso nem de argumentos, é muito óbvio. E, principalmente, lembrar a cada manhã de sábado chuvoso que eu acordar cedo clamando por mais algumas horinhas de sono, que, na verdade, eu deveria parar de choramingar pois estou sempre prestes a aprender o quanto é mágico o dom de ensinar, de compartilhar.

“Ninguém é tão grande que não possa aprender, nem tão pequeno que não possa ensinar.”

Mil vezes obrigada pra todos aqueles que, sendo meus alunos ou não, me mostram o quanto a vida pode ser piece of chocolate cake quando somos capazes de descobrir o que realmente nos faz bem!

Anúncios

Uma opinião sobre “Aos mestres com carinho!

  1. Já ia falar com você sobre essa demora de escrever. Como pode deixar os seus leitores tão aflitos assim???
    Quero dizer que além do dom de ensinar, você tem o dom da gentileza, da suavidade, da amizade, da compreensão e do bom humor.
    Você uma pessoa super alto astral e consegue dizer o que deve ser dito sem deixar um risquinho de mágoa. Realmente aprendeu a ser sincera sem ser rude.`
    Parabéns atrasado pelo seu dia. Ser professor(a) é uma habilidade que poucos possuem.
    🙂

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s