Não sei silenciar

Queria ser o tipo de pessoa que cumpre as promessas que faz para si mesma e se preocupa menos com as dívidas que adquiriu com outrem.

Penso que deixei escapar algum ensinamento sábio de meus avós. Talvez mais de um. Ou minha mãe esqueceu de me avisar que não se sai falando da própria vida aos sete ventos.

Devo ter dormido na aula de psicologia bem no dia que o professor ensinou meus colegas a saber lidar com os próprios problemas. E na terapia, confesso que omiti informações preciosas sobre minhas manias e preocupações, devido a certeza de que ninguém mais me compreenderia. Ninguém desse mundo, pelo menos.

Desde então, saí confessando cada mero acontecimento dos meus dias e mal selecionando os ouvintes. Deixando-me ser aconselhada por qualquer curioso que estivesse disposto a escutar sobre histórias mais medíocres que a sua própria.

E esta manhã foi somente outra manhã em que acordei com aquela vontade de não falar. Ou melhor, falar somente o necessário, como “bom dia” e “está tudo ok, sim”. Desejei ser feito criança que aprende a língua, balbuceia pouquíssimas sílabas e, mesmo com péssima dicção, satisfaz a vontade de ouvir daqueles que estão ao redor.

Mas não, eu não quis me instruir por bem e agora a vida está me ensinando por mal. Estou pagando o preço por ser uma má quitadora de dívidas, péssima entendedora de conselhos e aluna desleixada. Agora eu clamo para que (somente) a terapeuta ouça cada fonema de reclamação que meu coração grita. E que isso baste!

Para que assim, eu finalmente possa entender que compartilhar problemas não os divide, conforme dizem as citações populares, e sim, acrescenta visões ilusórias e pessimistas a uma realidade que já é amargurada demais.

Anúncios

4 opiniões sobre “Não sei silenciar

  1. Meu Deus, Raíssa… Eu não sei te explicar o que senti qnd li esse texto, mas foi uma ótima sensação. Uma sensação especial, de sintonia talvez.
    “E na terapia, confesso que omiti informações preciosas sobre minhas manias e preocupações, devido a certeza de que ninguém mais me compreenderia. Ninguém desse mundo, pelo menos.” Isso é tão eu! haha
    Perfeito!!

  2. Na boa, esse é o seu melhor texto.
    E quando você aprender a calar.. jura que me ensina?
    A gente sempre acha que ninguém nunca vai entender a gente, e talvez por isso a gente saia por aí gritando tudo aos quatro ventos, na espera de que alguém nos mostre o contrário.

    Perfeito!! [2]

  3. Me identifiquei muito com o texto, muitas vezes quebramos essas promessas que fazemos com nós mesmos e ficamos frustrados depois. Eu também queria aprender a calar,,hehehe

    Beijo Rá, vc é ótima.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s