O tempo tem que parar

Tô com medo de olhar no relógio porque sei que o ponteiro tá girando disparado e, dessa vez, tirar a pilha não vai fazer o tempo estagnar. Nem se eu deitar na cama, fechar os olhos, enterrar a cara no travesseiro e implorar pra poder voltar atrás, o eco da solidão só vai me relembrar que certas decisões são irreversíveis.

E subitamente, quando eu resolvo encarar o maldito ponteiro, ele ensaia um cansaço de girar feito louco e simula estar exausto dessa minha indecisão, dessa minha vontade e dessa minha falta de questão. Daí passo a ter quase certeza que minha missão nesse mundo é orientar e ser desorientada.

No mundinho que eu criei dentro do meu quarto, entre meus livros e CD’s e afazeres e tudo mais, eu sei que to bem segura. Idiota serei se parar de me preocupar com o tempo que passa, com as folhas do calendário que viram frenéticamente e me jogar no mundão sem as regras que inventei. Porque sem regra eu não sou ninguém. Se bem que, sem as regras que você criou pra nós eu acho que também não sou muita coisa não.

O problema é que não to preparada pra assumir nada. Principalmente assumir que sou uma fraca, iludida, apaixonada. Não tô preparada pra estilhaçar essa sua fachada tão ou mais frágil que a minha. E ao mesmo tempo não quero admitir que eu tô mais quebradiça ainda, mais triste que o normal, mais esperançosa do que é considerável saudável.

Por mim a gente continuava com os bilhetinhos no bolso do meu casaco, os passeios de foragidos, os cartões e presentes anônimos… Sempre nessa brincadeira de estar perto mesmo estando longe.

Mas você fica aí, abrindo mão de tudo, todos e um pouco mais pra vir correndo me arrancar de dentro do meu quarto e do meu mundinho afável. Pra me arrancar esse medo de ser quem eu quero e ter quem eu mereço. Pra partir pro meu abraço e me oferecer só seus braços pra me acalentar quando o tal do ponteiro que não para voltar a me assustar.

Queria ter tua coragem. Então vem logo tirar esse meu receio. Ou melhor, espera só mais um pouquinho que vou testar pra ver se as pilhas do relógio estão descarregando, vai que eu não aguento esse tempo disparando…

Anúncios

3 opiniões sobre “O tempo tem que parar

  1. Já dizia o ditado que o tempo é o senhor do destino, mas esquecemos que o tempo é o nosso destino, cabe a nós sermos os donos do nosso tempo…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s