Músicas arruinadas, coitadas

Naquela noite absurdamente quente, o brilho dos enfeites de Natal ofuscavam qualquer estrela que ousasse aparecer um segundo sequer naquele céu poluído. Muitas pernas e muitos pés vagavam, caminhavam, corriam ou rastejavam. Num canto, um casal no maior dos amassos; algumas esquinas pra frente, outro casal que provavelmente não teria amasso nenhum dali umas horas. Mãos e braços dados, muita gente falando e muito silêncio se fazendo necessário. E onde menos deveria haver silêncio, lá estava eu, estática, fazendo questão de observar a movimentação de um mundo tão mais interessante que o meu naquele instante.

Enquanto seus dedos apoiados no volante dançavam ao som de Mambo nº5, eu só imaginava que tipo de pessoa grava um CD com essa música pra ouvir no carro, parado no trânsito. Meus pés também dançavam, confesso, mas muito bem escondidos dentro da sapatilha que estava mais apertada que meu coração. “Jump up and down, go move it all around/Shake your head to the sound, put your hand on the ground/ Take one step left and one step right/ One to the front and one to the side/ Clap your hands once, clap your hands twice/ And if it looks like this, then you’re doing it right” Lembrei-me de como há umas duas semanas eu dançava esta mesma música em melhor companhia e… ah, como eu queria!

Desde Smiths até Duffy, passando, claro, por Beatles, até eu perceber que me tornei a pessoa mais capacitada para arruinar músicas nesta galáxia. “But you don’t pull my strings, ‘cause I’m a better man, movin’ on to better things” e nossa primeira cantoria *muda*; “Well, I could see you home with me, but you were with a another man, yeah” e, nossa, parece um certo começo, né? *muda*; “And I can’t help myself, all I wanna hear her say is ‘R u mine?’”, haha *muda*; “I can’t remember anything to this very day, except the look, the look” pois é… *muda* ;“But say that you’ll stay forever and a day in the time of my life, ‘cause I need more time, yes I need more time just to make things right”, esse rádio nunca me irritou tanto!!! *muda*; “It’s you and me and all of the people, and I don’t know why I can’t keep my eyes off of you” como, meu Deus, como é possível que nenhuma música tenha sobrevivido plenamente intacta a este meu coração que mal pulsa de tão retardado que é? *muda*. “I remember when, I remember, I remember when I lost my mind, there was something so pleasant about that phase” ah não, chega, essa não, essa é minha e de mais ninguém, minha-música, você não vai estragá-la! *muda*.

Que tal voltarmos pro Mambo nº5, onde nenhum coração foi partido, casais não se separam, a verdade nunca dói, ninguém é de ninguém e os únicos machucados são os dedos dos meus pés apertados nas sapatilhas. Que tal?

“A little bit of Sandra in the sun/ A little bit of Mary all night long/ A little bit of Jessica here I am/ A little bit of you makes me your man/ Tchãtchãratantan tararam tchãtchãrantan…”

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s